pt  |  en

A minha reserva...



Reserve Já »
Adults
Children

Protocolo interno relativo ao surto de coronavírus - Covid 19

Serve o presente protocolo interno, para informação relativa às boas práticas adotadas pelo LBV House Hotel para efeitos de prevenção da propagação do surto de Covid 19 nas nossas instalações.
 
 

Procedimentos individuais de proteção:

 
  • Higienização das mãos: lavar as mãos frequentemente com água e sabão, durante pelo menos 20 segundos ou usar desinfetante para as mãos que tenha pelo menos 70% de álcool, cobrindo todas as superfícies das mãos e esfregando-as até ficarem secas.
 
  • Etiqueta respiratória: tossir ou espirrar para o antebraço fletido ou usar lenço de papel, que depois deve ser imediatamente deitado ao lixo; Higienizar as mãos sempre após tossir ou espirrar e depois de se assoar; Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos.
 
  • Conduta social: alterar a frequência e a forma de contacto entre os trabalhadores e evitando, sempre que possível, o contacto próximo, apertos de mão, beijos, postos de trabalho partilhados, reuniões presenciais e partilha de comida, utensílios, copos e toalhas.
 
  • Auto monitorização diária para avaliação da febre (medir a temperatura corporal duas vezes por dia e registar o valor e a hora de medição), verificação de tosse ou dificuldade em respirar.
 
  • A farda dos profissionais não deve ser levada para lavar em casa - deve ser lavada em máquina, na lavandaria da unidade, a temperaturas elevadas.
 
 
 

Procedimentos a aplicar:

 
  • Afixação, em local visível, de informação sobre as regras de etiqueta respiratória.
 
  • Afixação em local visível e de acesso não condicionado, aos contactos locais de emergência, como bombeiros, forças de segurança e linha SNS 24.
 
  • Todos os colaboradores receberão formação/informação e serão responsáveis por acionar os procedimentos em caso de suspeita de infeção (acompanhar a pessoa com sintomas ao espaço de isolamento, prestar-lhe a assistência necessária e contactar o serviço nacional de saúde).
 
  • Qualquer colaborador que apresente sintomas associados ao Covid-19 deverá dirigir-se para a área de isolamento estipulada e seguir todos os procedimentos definidos para casos suspeitos.
 
  • Todos os colabores, bem como os hóspedes (aquando do check-in), serão informados dos locais distribuídos pela área do hotel onde poderão encontrar kits para desinfeção das mãos.
 
  • Os hóspedes serão antecipadamente informados das medidas aplicadas no hotel (por e-mail) e serão novamente relembrados dos procedimentos a tomar aquando do check-in.
 
  • A todos os hóspedes será aconselhado o uso de máscara, sobretudo quando se deslocarem para os espaços comuns do hotel.
 
  • O jacuzzi encontrar-se-á encerrado.
 
  • O pequeno-almoço terá ocupação reduzida e limitada e será organizado de forma a manter o distanciamento recomendado. Será obrigatória a desinfeção das mãos antes de aceder à sala de refeições.
 
 

O estabelecimento possui:

 

  • Equipamentos de proteção individual para os colaboradores.
     
  • Equipamento de proteção individual para clientes (disponível para compra/venda – capacidade máxima do estabelecimento).
     
  • Dispensadores de solução antisséptica de base alcoólica ou de solução à base de álcool junto aos pontos de entrada/saída, por pisos, à entrada da sala de refeições e instalações sanitárias comuns.
     
  • Local de isolamento preparado para possíveis casos suspeitos ou confirmados de Covid-19.
     
  • Instalações sanitárias com equipamento de lavagem de mãos, com sabão líquido e toalhetes de papel.
     
  • Equipamento de limpeza adequado e recomendado pela Direção Geral de Saúde para a prática segura das tarefas do departamento de Housekeeping.
     
  • Piscina exterior com desinfeção/medição 3 vezes ao dia e cujo acesso apenas será autorizado se as normas da DGS assim o permitirem.

 

 

Procedimentos de Higiene e Limpeza dos espaços físicos:

 
  • Lavagem e desinfeção das superfícies onde colaboradores circulam, garantindo o controlo e a prevenção de Infeções e resistências aos antimicrobianos;
 
  • Limpeza, várias vezes ao dia, das superfícies e objetos de utilização comum (incluindo interruptores de luz, maçanetas, puxadores de armários).
 
  • É dada preferência à limpeza húmida, em detrimento da limpeza a seco e do uso de aspirador de pó.
 
  • A renovação de ar dos espaços fechados é feita regularmente, através da abertura de portas/janelas, pelo menos 3 vezes por dia e por períodos não inferiores a 15 minutos.
 
  • Serão cumpridas as recomendações da Direção Geral de Saúde para limpeza de superfícies e tratamento de roupa.
 
 

Mudança de roupa dos quartos e limpeza e desinfeção das instalações

 
  • Dado que a intervenção de mudança de roupa da cama gera aerossóis, ter-se-á de separar as duas intervenções: mudança de roupa e limpeza. Deve-se dar um tempo de espera entre estas duas tarefas - respeitar um tempo de repouso entre retirar lençóis e roupas de cama e atoalhados, e realizar a limpeza de pisos e superfícies.
     
  • É necessário equipar os profissionais encarregados de remover roupa e realizar a limpeza, com: Bata; Luvas não esterilizadas; Óculos de proteção; Máscara de proteção respiratória.
     
  • Ao remover a roupa de cama e atoalhados deverão ser seguidas as seguintes regras: • Não agitar a roupa de cama; • Retirá-la sem a sacudir, enrolando-a no sentido de dentro para fora, fazendo um “embrulho”; • Não encostar a roupa ao corpo; • Transportar as roupas e colocar diretamente na máquina de lavar.
     
  • A roupa deve ser lavada à temperatura mais alta que puder suportar (dependendo da Termo resistência).
     
  • Os resíduos recolhidos no quarto, devem ser acondicionados num primeiro saco bem fechado, que depois é depositado no 2.º saco.
     
  • A limpeza húmida é sempre preferível, à limpeza a seco. Não usar aspirador para limpeza de pisos. Não é adequado o uso de aspirador de pó, porque põe em movimento no ar, as gotículas, nas quais o vírus pode estar contido e transforma-as em aerossóis.
     
  • Se há presença de sangue, secreções respiratórias ou outros líquidos orgânicos: Absorver os líquidos com papel absorvente; Aplicar a lixívia diluída em água; Deixar actuar durante 10 minutos; Passar o local com água e detergente; Enxaguar só com água quente; Deixar secar ao ar.
     
  • Para a desinfeção comum de superfícies: Lavar primeiro com água e detergente; Aplicar a lixívia diluída em água na seguinte proporção; deixar atuar a lixívia durante 10 minutos; Enxaguar apenas com água quente e deixar secar ao ar.
     
  •  As instalações sanitárias devem ser lavadas e desinfetadas com um produto de limpeza misto que contenha em simultâneo detergente e desinfetante na composição, por ser de mais fácil e rápida aplicação e ação.
     
  • O mobiliário e alguns equipamentos poderão ser desinfetados após a limpeza, com toalhetes humedecidos em desinfetante ou em álcool a 70º. Limpar primeiro o mobiliário do quarto; limpar e desinfetar armários, bancadas, mesa e cadeiras, não esquecendo de desinfetar os puxadores dos armários e das portas; de seguida, limpar e desinfetar a torneira, o lavatório e o ralo.
     
  • Limpar paredes até à altura do braço.
     
  • Casas de banho: Lavar a casa de banho, começando pelas torneiras, lavatórios e ralos destes, passar depois ao mobiliário, de seguida a banheira ou chuveiro, retrete e bidé;
     
  • Sanita: Aplicar o produto que tem a função de detergente e desinfetante em simultâneo, no interior e exterior da sanita; Deixar atuar o produto durante 10 minutos para que faça o efeito desejado; Esfregar bem por dentro com o piaçaba; Descarregar a água com o piaçaba ainda dentro da sanita para que este também fique limpo; Pôr o piaçaba a escorrer; Lavar e desinfetar o suporte do piaçaba.
     
  • Parte externa da sanita: Com outro pano limpo de uso único, lavar a parte externa da sanita, começando pelo tampo (o menos sujo), seguindo-se a parte de cima da sanita e todas as partes exteriores com o mesmo detergente/desinfetante; passar depois só com água quente e deixar secar.
     
  • Chão das instalações: Por fim, lavar o chão das instalações. Abrir as janelas da área e deixar secar ao ar.
 


Procedimentos em caso de Suspeita de infeção de Clientes

 

  • A pessoa doente não deve sair do hotel.
     
  • Qualquer Cliente com sinais e sintomas de COVID-19 e ligação epidemiológica, ou que identifique outro Cliente com critérios compatíveis com a definição de caso suspeito, deverá informar a recepcao por via telefónica.
     
  • Não se deve dirigir ao centro de saúde, a consultório privado ou à urgência do hospital;
     
  •  No caso em que o Cliente esteja na sua Unidade de Alojamento aquando da manifestação da queixa, deverá permanecer no quarto, que funcionará como Sala de Isolamento.
     
  • Caso, ao invés, o Cliente não esteja na sua Unidade de Alojamento, então deverá ser deslocado para a Sala de Isolamento.
     
  • Caso a pessoa suspeita seja um Cliente, deverá ser a unidade hoteleira a contactar o SNS 24 (808 24 24 24).
     
  • Aguardar as instruções dos profissionais de saúde que o vão atender e a decisão clínica.
     
  • O profissional de saúde do SNS 24 questiona quanto a sinais e sintomas e ligação epidemiológica compatíveis com um caso suspeito de COVID-19. Após avaliação, o SNS 24 informa sobre a validação ou não validação.
     
  • Após avaliação, caso o SNS 24 informe sobre a não validação, o Empreendimento deverá informar o Cliente dessa não validação.
     
  • Após avaliação, caso o SNS 24 informe sobre a validação, a DGS activa o INEM, o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge e Autoridade de Saúde Regional, iniciando-se a investigação epidemiológica e a gestão de contactos.
     
  • O Cliente doente deverá permanecer na área de isolamento (com máscara cirúrgica, desde que a sua condição clínica o permita), até à chegada da equipa do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), activada pela DGS, que assegura o transporte para o Hospital de referência;
     
  • O acesso dos outros Clientes ou de Trabalhadores à área de isolamento fica interditado (exceto aos trabalhadores designados para prestar assistência);
     
  • A área de isolamento deve ficar interditada até à validação da descontaminação (limpeza e desinfeção) pela Autoridade de Saúde Local. Esta interdição só poderá ser levantada pela Autoridade de Saúde.
     
  • Devem ser alertados todos os indivíduos que poderão ter tido contacto com o hóspede infetado.

 

A Sala de Isolamento tem as seguintes características:

 
  • Ventilação natural e/ou sistema de ventilação mecânica;
     
  • Revestimentos lisos e laváveis;
     
  • Instalação sanitária para utilização exclusiva, situada no interior da Sala de Isolamento, ou nas suas proximidades;
     
  • Telefone;
     
  • Cadeira e cama;
     
  • Kit com água e alguns alimentos não perecíveis;
     
  • Contentor de resíduos (com abertura não manual e saco de plástico);
     
  • Solução antisséptica de base alcoólica (no interior);
     
  • Stock de materiais de limpeza de uso único, proporcional à sua dimensão;
     
  • Máscara(s) cirúrgica(s);
     
  • Luvas descartáveis;
     
  • Termómetro;
     
  • Sacos de recolha de roupa usada.

Wi-fi Grátis
Disponível no Hotel
Wi-fi

Reserve Online



© 2020 LBV House Hotel. Todos os direitos reservados. | e-GDS® [Global Distribution Solutions]